Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Esporte        Educação       


Notícias



Operação combate desmatamento ilegal no Sul de Lábrea
Por Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas,
segunda-feira, 9 de outubro de 2017
 
 
 

Operação combate desmatamento ilegal no Sul de Lábrea
Operação Lábrea. / Divulgação / IPAAM.

Caminhões, tratores, armas de fogo, motosserras, e madeiras em tora foram apreendidas na “Operação Lábrea”, deflagrada pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) para combater a extração ilegal de madeira e o desmatamento no Sul do município de mesmo nome, a 702 quilômetros de Manaus. Pelo menos dois acampamentos que serviam de base para a extração ilegal de madeira foram inutilizados na ação.

 

A operação, realizada em parceria com a Polícia Militar do Amazonas (PMAM), foi iniciada no último dia 30 de setembro e finalizada neste fim de semana. Além das apreensões, foram identificados diversos passivos ambientais, tais como queimadas não autorizadas, grilagem de terras, planos de manejo florestal explorados em desobediência à legislação e a construção de uma ponte sobre o rio Curuquetê, usada para facilitar o transporte da madeira retirada ilegalmente. A quantidade total de materiais apreendidos, multas e embargos aplicados será divulgado após a conclusão do relatório dos fiscais que estão retornando para a capital.

 

A investigação do Ipaam apontou que grupos de madeireiros extraem madeira em áreas públicas do Estado do Amazonas, principalmente no Sul de Lábrea, e transportam o material em toras para o Estado de Rondônia, por meio de ramais abertos ilegalmente no meio da floresta. A madeira é processada e legalizada no Estado vizinho deixando de gerar receita para o Amazonas que fica com os danos ambientais.

 

'Arco do desmatamento' - Lábrea sofre constante pressão de ilícitos ambientais por estar inserida na região conhecida como “Arco do desmatamento”, e fazer fronteira com o Estado de Rondônia. Conforme levantamento do Ipaam, quem pratica ilícitos ambientais na região acredita que não será flagrado pela fiscalização devido ao difícil acesso e logística disponível limitada para chegar aos locais de exploração de madeira. Contudo, por meio de imagens de satélites é possível identificar polígonos de desmatamento e agregar informações ao monitoramento terrestre feito pela inteligência do Ipaam e da PMAM.

   

Grupos de madeireiros ilegais foram flagrados atuando em uma extensa área verde acessada por sub-ramais, construídos irregularmente, que derivam dos ramais Mendes Junior, Boi e Jequitibá. Os três ramais dão acesso à BR-364, em Rondônia, onde ao longo da rodovia estão localizados os distritos de Vista Alegre do Abunã, Extrema, e Nova Califórnia, identificados como receptores da madeira extraída ilegalmente do Amazonas.

 

De acordo com o secretário de Estado do Meio Ambiente (Sema) e diretor-presidente do Ipaam, Marcelo Dutra, a operação compõe o conjunto de ações integradas de fiscalização que o Governo do Amazonas está realizando para combater o desmatamento ilegal na região Sul. “Temos o desafio de tratar a agenda ambiental do Amazonas com o comprometimento e dedicação que ela merece, promovendo a conservação e o desenvolvimento sustentável. A fiscalização é um instrumento importante executada pelo Ipaam que deve dialogar com políticas públicas efetivas que estamos construindo na Sema. Assumimos para arrumar a casa e construir o futuro, oferecendo ao presente o trabalho e esforço à maior riqueza do nosso Estado, o meio ambiente”, ressaltou.

 

Trabalho contínuo - Além da fiscalização, estão previstas várias ações do Governo do Amazonas, por meio da Sema e Ipaam, para conter a pressão do desmatamento, principalmente na região Sul. Uma delas é o programa Municípios Sustentáveis do Amazonas (MS Amazonas), além da intensificação do Cadastro Ambiental Rural (CAR). O MS Amazonas é o primeiro de uma série de instrumentos para reduzir a degradação ambiental, desmatamento e queimadas no Estado, com destaque para a região Sul.

 

O programa foi lançado no início do ano em Boca do Acre e no último mês em Apuí, Manicoré e Novo Aripuanã. O próximo município a receber o MS Amazonas será Lábrea. Os municípios de Apuí, Boca do Acre, Manicoré, Lábrea, Humaitá, Novo Aripuanã e Canutama são prioritários no programa devido aos altos índices de desmatamento e queimadas.

 

Campanha educativa - Outro instrumento de combate às queimadas é a campanha educativa e de sensibilização “Diga não ao fogo. Você também é responsável”, que está em curso no interior do Estado. O intuito é alertar a população quanto aos riscos à saúde e impactos ambientais causados pelas queimadas. As ações de sensibilização estão sendo realizadas no interior por uma equipe itinerante com servidores da Sema, Ipaam e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

 

Publicidade




   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Cinema
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Classificados
Cyber Café
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Hotspots (wi-fi)
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

ESPORTE
Copa 2014
Campeonato Regional
Academias
EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Windows Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2017